Associação Fonética Internacional é responsável pela criação do alfabeto fonético.

Associação Fonética Internacional (AFI)

O alfabeto fonético, que serve para que se possa pronunciar palavras de qualquer idioma, através de um sistema de letras e símbolos, foi criado e vem sendo promovido desde 1886 pela Associação Fonética Internacional – AFI. Quando ocorreu a criação do alfabeto fonético, a AFI não havia ainda sido criada, constituindo-se apenas em um grupo de professores da França e da Inglaterra, liderados pelo linguista Paul Passy.

O que motivou a criação do grupo

Quando o grupo se formou em Paris, os professores de línguistica que o integravam tinham, entre outras motivações, promover a utilização da notação fonética em escolas com o objetivo de colaborar com as crianças, para que essas adquirissem uma pronúncia mais realista das línguas estrangeiras que aprendiam. Também era uma maneira de ensinar às crianças mais novas a ler.

O que motivou a criação do alfabeto fonético

Quando a associação desenvolveu o alfabeto fonético internacional, os seus membros estavam justamente focados em criar uma série de símbolos fonéticos, para as quais diferentes articulações seriam aplicadas. Isso faria com que cada idioma tivesse um alfabeto particular aos sons da sua língua. No entanto, os estudos em prol deste alfabeto mostraram que seria melhor desenvolver um alfabeto universal, onde os mesmos símbolos fossem utilizados para o mesmo som em diferentes línguas. Isso tornaria mais fácil todo o procedimento e seus resultados poderiam ser alcançados com mais sucesso.

Antes mesmo de iniciar o novo século, a AFI já tinha progredido muito em relação ao seu alfabeto fonético internacional. De tempos em tempos, ele é revisado, quando acontecem acréscimos ou subtrações, as quais resultavam em aumentar ou diminuir o número de letras e símbolos que o constitui. Essas mudanças seguem até os dias de hoje, conforme os avanços da ciência fonética e sempre buscam o aperfeiçoamento do alfabeto. A última revisão do alfabeto fonético ocorreu em 2005.

Denominações e apogeu da AFI

Em um primeiro momento, este grupo se definiu como Dhi Fonètik Ticerz’ Asóciécion (FTA). Depois de três anos, ele passou a se chamar L’Association Phonétique des Professeurs de Langue Vivantes (AP) e, finalmente, em 1897, recebeu o nome que leva até hoje, L’Association Phonétique Internationale (API), ou no inglês, International Phonetic Association (IPA).

Já o apogeu da Associação Fonética Internacional aconteceu em 1914, quando o número de associados à entidade somava 1751 membros, originários de 40 países diferentes. Essa quantidade também permitiu que as ideias da associação estivessem no seu apogeu em relação à influência na educação. No entanto, devido à Primeira Guerra Mundial e aos seus resultados, as atividades da AFI tiveram que ser interrompidas, obrigando os seus membros a suspenderem as publicações até 1922.

Atividades da Associação Fonética Internacional

Apesar de o alfabeto fonético internacional ser a maior contribuição da Associação Fonética Internacional, a organização é responsável por diversos estudos científicos sobre a fonética e aplicações práticas de suas teorias. A entidade publica, ainda, o Journal of the International Phonetic Association, bem como realiza exames em fonética desde 1908, através do qual expede Certificados de Proficiência em fonética nas línguas inglesa, alemã e francesa.

Alfabeto fonético, notação fonética e transição fonética

Para entender melhor o alfabeto fonético, é possível dizer que ele é um padrão que integra um sistema de notação fonética de todas as línguas. A notação fonética pertence aos sistemas de notação, que são divididos em dois grandes grupos, o de símbolos fonéticos, que usam letras, números, palavras, abreviaturas e sílabas e o referente a símbolos gráficos, onde estão incluídos pontos, linhas, curvas e outros.

Entre os tipos de sistema de notação fonética, merecem destaque os alfabéticos, pois são os mais antigos dos quais se tem conhecimento. Já entre os fonéticos estão o antigo sistema grego e os atuais: arábico, chinês e indiano. Nesse universo de estudos, pesquisas e informações, existe também a transcrição fonética, que se trata de um método formalizado, em termos, de transcrever os sons de uma determinada língua.

A transcrição se aproxima, em geral, da forma que se pronunciam as palavras da língua estudada. E são para essas transcrições que o alfabeto fonético internacional também é muito útil, pois é uma das ferramentas que a torna viável. Com isso, o alfabeto se torna um meio possível para estudar as culturas e registrar os seus conhecimentos.

Alfabeto Fonético